Rating & Endividamento

S&P

Em 10 de Setembro de 2015, a Standard & Poor´s – S&P rebaixou os ratings de crédito corporativo atribuídos à Companhia e suas subsidiárias, COELBA, CELPE e COSERN, para ‘BB+‘ na Escala Global e ‘brAA+` na Escala Nacional Brasil com perspectiva negativa para ambos. Na mesma data, a S&P reavaliou o rating de crédito corporativo da Elektro Redes de ‘brAAA’ para ‘brAA+’. Este movimento foi reflexo do rebaixamento do Rating soberano do Brasil, devido à condição de setor regulado em que as concessionárias de energia elétrica estão inseridas. Itapebi e Termopernambuco também sofreram rebaixamento nos seus Ratings de Emissão que passaram de brAA+ para brAA.

Em 17 de fevereiro de 2016, a agência de rating S&P rebaixou novamente o Rating soberano do Brasil. Devido à condição do setor regulado citada no primeiro parágrafo deste item, os ratings de crédito corporativo da Neoenergia, COELBA, CELPE e COSERN foram rebaixados de ‘brAA+’ para ‘brAA-‘ na Escala Nacional Brasil com perspectiva negativa. Nessa data a Itapebi, Termopernambuco e NC Energia sofreram rebaixamento nos seus Ratings de Emissão que passaram de ‘brAA’ para ‘brA+’ e a Elektro Redes passou de ‘brAA+’ para ‘brAA-’. Em 21 de julho de 2016, a S&P reafirmou o rating de crédito corporativo da Elektro Redes, atribuído à empresa na revisão anterior.

Em 27 de março de 2017, a S&P reafirmou os ratings de crédito corporativo estabelecidos na revisão anterior atribuídos a Companhia e suas subsidiárias.

Em 23 de maio de 2017, a S&P também reafirmou o rating de crédito corporativo da Elektro Redes em ‘brAA-’. É importante ressaltar que, mesmo após o rebaixamento, a Companhia permanece entre as melhores empresas na escala de classificações do Rating do setor elétrico.

Em 12 de janeiro de 2018, a Standard & Poor´s – S&P rebaixou os ratings de crédito corporativo atribuídos à Neoenergia e suas subsidiárias para ‘BB-‘ na Escala Global e ‘brAA-`/Perspectiva Estável na Escala Nacional Brasil. Este movimento foi reflexo do rebaixamento do Rating soberano do Brasil, devido à condição de setor regulado em que a Neoenergia está inserida.

Em 24 de janeiro de 2018, a Standard & Poor´s – S&P reafirmou os ratings de crédito corporativo de longo prazo ‘BB-’ na escala global e os de longo e curto prazos ‘brAA-/brA-1+’ na Escala Nacional Brasil atribuídos à Neoenergia e suas subsidiárias em 12 de janeiro de 2018.

Em 11 de julho de 2018, a a Standard & Poor´s – S&P elevou os ratings de acordo com nova metodologia de crédito nas escalas nacional e regionais. Em razão dessa mudança, o rating da Neoenergia elevou-se de brAA- para brAAA, o que representa a mais alta capacidade geral de uma Companhia para honrar suas obrigações financeiras.
A perspectiva dos ratings corporativos permanece estável.

 

Fitch

Em relação aos ratings publicados pela agência Fitch, em 26 de julho de 2017, foi atribuída a nota de crédito AA+, com observação negativa, para o rating corporativo da Elektro Redes. Em 04 de setembro a Agência removeu a observação negativa e rebaixou para AA-, com perspectiva estável e em 14 de dezembro do mesmo ano reafirmou a nota de crédito.

Para Calango 6, em 18 de janeiro de 2016, a Fitch atribuiu a nota A+, com perspectiva estável. Em 16 de junho a agência colocou essa nossa de crédito em observação positiva quando em 05 de janeiro de 2018, a Fitch elevou o rating para AA-, com perspectiva estável.

Em relação à Lagoa 1, em 11 de julho de 2017, a Fitch atribuiu o rating A+. Em 02 de outubro, a Agência elevou o rating para AA- e em 04 de janeiro de 2018, reafirmou o rating, com perspectiva estável.

 

Rating